SEU CAFE SACHÊ

 Curiosidades


Você sabia que o café foi descoberto quase que 

acidentalmente?

Há várias lendas que envolvem a sua descoberta, mas uma das mais conhecidas e aceitas é a do pastor Kaldi, que viveu na Abisínia (atual Etiópia) há cerca de mil anos.

Observando suas cabras, notou que elas ficavam alegres e dispostas após consumir os frutos avermelhados que se encontravam em alguns campos de pastoreiro. Ele então decide experimentá-las, e, impressionado por seus poderes estimulantes, transmite sua descoberta para um monge local, que inventa um novo processo para consumir tais frutos, baseado em um processo de infusão, produzindo uma bebida quente que usava para se manter acordado durante as cerimônias religiosas noturnas.

Assim surgiu a bebida que todos nós amamos! A propósito, você já tomou seu café hoje?


 


Prazer em todos os sentidos

 Os cinco sentidos


Com um pouco de concentração é possível descobrir um mundo de sabores numa xícara de excelente café espresso. Degustar, na verdade, significa saborear com consciência, integrando o prazer sensorial e o intelectual. Significa captar os refinamentos do aroma e do sabor, numa viagem repleta de memória e fantasia.

 OLFATO

As primeiras ondas de aroma são liberadas quando o café atinge os 80°C e se mistura para permitir que o perfume, atravessando a cobertura de creme, se misture ao ar. São notas frescas e leves de flores e frutos, dentre eles o jasmim e a amêndoa. Uma segunda onda chega depois de prová-lo, quando a percepção do olfato detecta aromas mais fortes como a manteiga, o pão quentinho ou o chocolate. É o que geralmente se denomina de “sabor”.

PALADAR

A temperatura ideal para a degustação é de aproximadamente 65ºC. É preferível não acrescentar açúcar para não alterar o sabor, já que o espresso perfeito tem um equilíbrio exato de notas doces, amargas e ácidas. Um pequeno gole é suficiente para apreciar a sua plenitude.

TATO

Somado ao aroma, o “corpo” distingue o espresso de qualquer outra preparação e oferece uma agradável sensação de cremosidade e suavidade aveludada.

AUDIÇÃO

Um expresso é comparado à frequência a uma peça musical, metaforicamente, embora composta por notas aromáticas. Ao se concentrar na sensação de harmonia proporcionada pelo espresso, é possível “ouvir” o café. Cada um se identifica com um tom diferente.

VISÃO

Um espresso perfeito é reconhecido de imediato. A xícara de porcelana branca emoldura o creme: uma delicada camada em tons de avelã, entrecortada por finas estrias avermelhadas.

Se o creme é castanho-escuro, com pontos brancos ou com um buraco no meio, há algo de errado: o tempo de extração foi longo demais, o café foi moído muito fino, ou tanto a temperatura quanto a pressão estavam altas. Em condições contrárias, o espresso apresenta um creme claro e inconsistente.


 

O que é um Barista?





Barista é o profissional especializado em 
cafés, desde sua história,

 locais de cultivo,

etapas de processamento, de beneficiamento, de torra e moagem 

até a preparação de cafés com alta qualidade e de novos drinks, 

podendo ser estes 

alcoólicos, com 

licor, cremes, entre outros.

Deve ser profundo conhecedor de todo o processo necessário para se chegar ao espresso perfeito. Começa na escolha dos grãos, no blend mais apropriado, na granulometria exata, na prensagem precisa, tudo para uma boa extração. Atuam principalmente em cafeterias, promovendo a qualidade e a diversidade do café do Brasil.
Barista em italiano se refere ao "bartender", deriva da palavra "bar" e na Itália designa aquele que trabalha atrás do balcão, servindo tanto espresso quanto demais bebidas.
No resto do mundo passou a ser usado para os que atingiram um nível superior de conhecimento no preparo de bebidas à base de espresso. Em alguns meios é usado como o equivalente no café para o “sommelier” (profissional especialista em vinhos); um profissional altamente habilidoso no preparo do café, seus blends, o espresso, as variedades de café, grau da torra, os diferentes equipamentos e formas de preparo  e combinações com outras bebidas.



Cafeína


Estudos científicos revelaram que o consumo de até 400mg de cafeína por dia aumenta nossa capacidade cognitiva, aumentando nosso estado de alerta, atenção e concentração. Além disso, a cafeína também melhora nosso estado de ânimo subjetivo, ou seja, após consumirmos café, nos sentimos mais eficientes, vigorosos e motivados para o trabalho, estudo ou qualquer atividade.

 

Café e a água com gás

Porque tomar água com gás antes do café espresso ?

Talvez esta possa ser uma dúvida ao pedir um café espresso. Aos poucos, as cafeterias que prezam pelos detalhes que tornam o consumo do café mais refinado, servem um pequeno copo de água com gás como acompanhamento. Esta prática ainda é pouco difundida nos estabelecimentos que servem café, de forma que a relação água com gás e beber café não é tão conhecida. É natural, então, um estranhamento – e há quem misture os dois líquidos ou beba a água para “tirar o gosto do café” após bebê-lo. Pois é justamente o contrário. 

A água com gás deve ser consumida antes do espresso, de modo a tornar as papilas gustativas mais sensíveis – limpando-as, fazendo com que apreciemos mais intensamente o sabor do café em seguida!

 

Café no trabalho: mais criatividade e rendimento!


 

Que o café ativa os processos de atenção e memória a já sabemos, mas você parou para pensar como a pausa para o cafezinho é produtiva para uma empresa? É nesta hora que, relaxados e descontraídos, os membros da equipe se reúnem e acabam tendo ideias inovadoras.

Como um importante momento para a empresa, a “hora do café” não para de evoluir, adequando-se aos gostos dos consumidores. E é por isso que as máquinas de café têm conquistado cada vez mais espaço nos escritórios e cozinhas de empresas.


                                  Cafeomancia



 

 

A cafeomancia é uma técnica usada para descobrir o futuro através da borra do café. Ela foi desenvolvida pelos árabes e era usada pelas odaliscas dos antigos sultões.

A arte de ler a sorte das pessoas através da leitura da borra do café nas xícaras, é é muito popular em países como a Turquia. Vários detalhes contribuem para essa leitura. O peso da xícara, a densidade das marcas da borra, como não poderia deixar de ser, as imagens que são formadas na borra do café.

Para fazer a leitura da borra do café é preciso :

Purifique o ambiente com incenso e coloque sobre a mesa em que a consulta será feita um copo com água e sal, isso ajudará a afastar energias negativas. Não é aconselhável fazer a leitura quando estiver angustiado ou ansioso, faça quando estiver tranqüilo. Isso porque os elementais acabam brincando com você, e os desenhos podem sair de forma estranha.

Prepare a mistura com pó de café, açúcar e água fervente. Deixar a mistura consistente. Depois, coloque 3 colheres (sobremesa) no fundo da xícara e tampe a com um pires. Vire a xícara para dentro, ou seja, na direção do coração e mentalize a pergunta desejada.Outro método para fazer a leitura é tomar o café e virar a xícara sobre o pires, mas nesse, é preciso mentalizar a pergunta enquanto estiver tomando o café. É preferível que a xícara seja branca.

Começando a leitura:

Uma boa leitura depende de dois fatores: o significado das figuras e a posição delas na xícara. Se as imagens se formarem à esquerda da asa é sinal de que está sofrendo influência do passado. À direita, significa que está sob influência de fatos futuros. Próxima da asa ou da borda, indica que o resultado da sua "leitura" aparecerá mais rápido e nas laterais, os acontecimentos serão mais para o futuro.


A borra de café




A borra de café pode ser utilizada para interromper o ciclo do mosquito da dengue. Basta misturar quatro colheres de sopa em um copo com água e colocar nos pratinhos das plantas, xaxins e dentro das folhas das bromélias. É necessário repetir a aplicação a cada sete dias.


 



 Dicionario prático sobre o Café (CAFÉ de A a Z )

A -

Acidez: Sensação obtida na parte lateral da língua, onde se for intensa pode causar uma certa salivação. Este atributo é perceptível em certos cafés e pode variar de acordo com a região produtora, clima e secagem dos grãos.

Amargor: É o gosto produzido pela cafeína e deve ser equilibrado nos cafés de melhor qualidade. A intensidade deste atributo varia de acordo com o blend, torra e moagem.

Arábica: Nome dado à espécie Coffea arábica, rica em sabor e óleos aromáticos

Aroma: São os elementos voláteis liberados pela bebida do café e perceptíveis através do olfato. Os aromas podem ser: frutado, floral, adocicado ou de grão torrado.


B -

Barista: Barista é o profissional especializado em cafés. Profundo conhecedor de todo processo necessário para chegar ao expresso perfeito: escolha do equipamento, dos grãos, blend apropriado, granulometria exata, prensagem, etc, tudo para uma ótima extração do café.

Bate Borra: Local onde é despejada a borra do café.

Beneficiamento: Processo realizado após a secagem dos grãos. Consiste na retirada da casca, para cafés naturais ou do pergaminho no caso de cafés descascados.

Blend: A combinação de grãos cafés com características complementares. O blend pode ser elaborado com cafés verdes (crus) ou torrados.

Borra: Pó do café utilizado.

C -

Cafeína: Alcalóide encontrado em alguns alimentos, tais como café, chá-preto e chocolate.

Café filtrado: Café preparado em filtro de papel, mais suave que o expresso, por ter uma extração de óleos aromáticos menor.


Café "curto": é um expresso que tem menor volume de água, e torno de 35 ml ou meia xícara, resultando num café mais concentrado por que contém os componentes da primeira  extração.


Café chamado de "carioca": colocar água quente até a metade da xícara e completar com café

Caldeira: Reservatório de água interno da Maquina de Café.

Cereja Descascado: Frutos que após a colheita são separados das cascas, e secos no próprio pergaminho.

Classificação: Separação dos grãos por tamanho, aspecto e defeitos.

Conilon: Espécie de café cultivado no Brasil, originário da África, tem um trato mais rude e pode ser cultivado ao nível do mar (altitudes mais baixas).

Corpo: É uma sensação na boca causada por uma persistência no paladar, e que enriquece a bebida do café. O Café pode ter corpo leve a intenso, dependendo de sua característica.

Crivo e Vedantes: Peneira fixa no grupo por onde passa a água.

 D -

Defeitos: aspectos indesejáveis contidos nos grãos de café.Grãos crus visualmente imperfeitos. Podem ter alteração de cor (preto, marrom, verde-escuro) ou tamanho (quebrados).

Degustação: Provar o café de tal modo a ter uma percepção mais apurada dos sabores e aromas exalados pela bebida.

Despolpado: Café despolpado é o que passou pelo processo da retirada da polpa (casca e mucilagem).

Doçura: Os cafés mais finos apresentam um sabor adocicado, que permite que sejam bebidos sem adição de açúcar. A doçura é percebida na ponta da língua.

Dosador: Compartimento que regula a medida certa de pó para um expresso.

Depósito do Dosador: Local onde fica o café moído.


E -

Estêncil: Utensílio utilizado para fazer a decoração do Latte Art.

Expresso: Café preparado em máquina, cuja concentração de óleos aromáticos é mais intensa. sob pressão/ rápido/ feito sob encomenda.

Extração: Retirada dos óleos aromáticos do café através da água quente e pressão.

F -

Filtragem: Método de preparo de café com a utilização do filtro de papel.

Filtro Depurador:  Filtro interno de tratamento da água.

Filtro: Peneira que se coloca no porta-filtro. Pode ser de 1 ou 2 cafés, ou saches.

Filtro Cego: Peneira sem furo usada para limpar os crivos e vedantes.

Fragrância: São os elementos voláteis liberados pelo café torrado e moído. É percebida no momento da abertura da embalagem. Cafés recém torrados possuem uma fragrância mais intensa e agradável.


G -

Gourmet: Café gourmet é considerado café especial e de alta qualidade.

Grão ardido: grão com sabor ardido, que estraga uma grande quantidade de grãos bons.

Grão verde: cor do grão após o beneficiamento. Conhecido também como grão cru.

Grão cereja: grão de café desenvolvido, verde ou maduro.

Grupo: Local onde se encaixa o porta-filtro para extração do expresso

Grelha e Tabuleiro Inferior: Parte da máquina onde se coloca a xícara para retirar o expresso.

Grelha Superior ou Esquenta Xícaras: Local onde se colocam as xícaras para permanecerem quentes.

I -

Infusão: Forma de preparar o café, em que o pó é colocado em contato com a água. Exemplos: o café turco e o feito com coador de pano.


M -

Manômetro de Nível de Água : Verifica o nível de água na caldeira.

Manômetro de Pressão:  verifica a pressão da água.

Manômetro de Temperatura : Verifica a temperatura da água.

Moagem: Processo de trituração dos grãos torrados para a preparação da bebida.

Moinho: Máquina composta de tremonha, mós, dosador, depósito do dosador

Mós : Lâminas internas do moinho.

Mucilagem: Polpa rica em açúcares situada entre a casca e o pergaminho (endocarpo).

N -

Natural: nome do processo para café seco com a casca, geralmente em terreiro. Os Cafés colhidos e secos com a própria casca. Quando secos, são chamados de “café em coco”.


O -

Orgânico: Cafés produzidos sem produtos químicos.


P -

Painel de Controle: Painel que contem todas as opções de manuseio da máquina

Percolação: Forma de preparação de café em que a água quente passa pelo pó de café, retirando os componentes de aroma e sabor. Exemplo: cafeteira italiana.

Pergaminho: Película interna do grão entre a casca e o fruto.

Porta-filtro ou Manípulo: Local onde se coloca o café moído retirado do moinho. Pode ser de 1 ou 2 cafés.

Purgar: Liberar a água do grupo sem o porta-filtro.


R –


Robusta: variedade de café que é mais rústica, também conhecido como conilon. É mais resistente á pragas, normalmente se misturam com arábica para acentuar e balancear o sabor

S -

Sabor Residual ou After taste: Sabor que permanece no paladar após a ingestão da bebida. Para cafés de alta qualidade este sabor pode ser leve ou mais intenso, porém agradável, causando o desejo de repetir e tomar mais uma xícara.

T -

Tamper, prensador ou compactador: Utensílio utilizado para prensar o café no porta-filtro.

Terreiro: Local onde os frutos são espalhados para iniciar o processo de secagem.

Torra: Processo de aquecimento do grão verde (cru), resultando na transformação física dos grãos, mudando sua cor: de verde para marrom. Este processo resulta na liberação dos aromas e resultará no sabor da xícara de café.

Tremonha: Local onde se coloca o café para ser moído.

Tubo de Vapor: Tubo utilizado para vaporizar o leite

Tubo de Água Quente: Tubo utilizado para extrair água quente